Ferrofrente contesta leilão da linha Norte-Sul

 Ferrofrente contesta leilão da linha Norte-Sul

 

Para o presidente da associação, José Manoel Ferreira Gonçalves, faltam estudos mais aprofundados que comprovem o interesse público do modelo escolhido para a concessão
“Governo Bolsonaro não precisa adotar
as soluções do governo Temer de forma açodada”

Previsto para ser incluído no primeiro pacote de concessões do governo Bolsonaro, que será anunciado na próxima semana, o edital do leilão do trecho entre Estrela d’Oeste (SP) a Porto Nacional (TO) da ferrovia Norte-Sul é alvo de críticas de especialistas.
Apesar de ser a única concessão de ferrovias do pacote, que inclui leilões de aeroportos e terminais portuários, a Norte-Sul representa o maior valor de edital envolvido no anúncio (R$ 1 bilhão).
Para o presidente da Ferrofrente (Frente Nacional pela volta das Ferrovias), José Manoel Ferreira Gonçalves, há vários aspectos que desaconselham o governo a prosseguir com a concessão nos moldes propostos.
“Estranhamos inicialmente um valor de outorga reduzido em um trecho que já recebeu R$ 16 bilhões de investimento público”, explica José Manoel, que também é coordenador do movimento +Ferrovias.
“Porém, o principal problema é que o edital, da forma como foi elaborado, privilegia as empresas que já exploram as atuais concessões de ferrovias no Brasil. Seria interessante que a equipe do novo governo pudesse avaliar com mais cuidado as futuras concessões, antes de se decidir pelo atual modelo”, completa o presidente da Ferrofrente. O movimento de defesa de interesse do consumidor e de usuários do transporte sobre trilhos cita pareceres contrários a esse modelo de concessão.
Recentemente, o Tribunal de Contas da União (TCU) examinou o processo de concessão desse trecho da Norte-Sul e concluiu que não há justificativa para manter o atual modelo monopolista de exploração da ferrovia, sem o livre acesso de outros operadores ferroviários e sem previsão de tráfego de passageiros.
“Essa concessão da Norte-Sul consolida o monopólio e não garante a interoperabilidade entre concessões, ou seja, a livre circulação de todos os trens nesse trecho da malha ferroviária”, avalia José Manoel.
“É altamente recomendável que a equipe do governo Bolsonaro avalie com mais cuidado esse edital e outros de ferrovias que não atendam ao interesse público, do contrário passaremos as próximas décadas lamentando que o modal ferroviário não seja melhor aproveitado como transporte no Brasil”, finaliza.
[17:25, 23/11/2018] Jm: Daqui a uma semana, dia 30 de novembro, a CNTU estará premiando, na 8ª. edição do Prêmio Personalidade Profissional:

– Na categoria Engenharia: Liedi Bernucci, engenheira civil, com especialização em engenharia de transportes, premiada pela destacada produção científica e docente e por ser a primeira mulher na direção da Escola Politécnica da USP.

– Na categoria Farmácia: Silvia Storpirtis, farmacêutica e bioquímica, premiada pelas proeminentes pesquisas científicas e tecnológicas em fármacos e assistência farmacêutica e pela inovadora docência na Faculdade de Farmácia da USP e outros programas de formação profissional em farmácia.

– Na categoria Nutrição: Glauce Gravena, nutricionista, premiada pelos expressivos serviços e inovações em refeições coletivas de trabalhadores com sustentabilidade e modernização tecnológica.

– Na categoria Odontologia: Welington Moreira Mello, cirurgião-dentista, premiado pela dedicação ao sindicalismo em defesa dos profissionais da odontologia e pelo expressivo empenho na defesa dos serviços públicos em saúde bucal.

– Na categoria Economia: Vicente de Paula Oliveira, economista, premiado pela longa dedicação à docência, ao serviço público, a fomentar o desenvolvimento social e econômico e à educação financeira.

– Na categoria Interesse Público: Ceci Juruá, economista, escritora, articulista, premiada pela pesquisa científica e atuação docente  em economia brasileira, consistente defesa do serviço público e da soberania brasileira, além de generoso e dedicado apoio intelectual aos projetos da CNTU.

A cerimônia de premiação acontecerá às 19 horas, em sequência à intensa programação, iniciada às 14 horas, com  análises e formulações de propostas para a democracia e o desenvolvimento brasileiro no Seminário “Democracia: abre as asas sobre nós: desafios e caminhos”, abordando os temas:  infraestrutura, soberania, direitos humanos, saúde, cultura e comunicação, contando com a participação de destacados pensadores.

Na plenária do Conselho Consultivo da CNTU, acontecerá a posse de novos conselheiros, debate e aprovação  da Carta Aberta da CNTU  “Democracia, abre as asas sobre nós”.

Confira a programação integral da Jornada no folder anexo.

Será uma honra contar com a sua participação em mais essa ação da CNTU visando ajudar a construir o melhor País para todos nós.

Atenciosamente,

Equipe de Organização

Compartilhe

José Manoel Ferreira Gonçalves é graduado em: Engenharia Civil, Jornalismo e Direito. Além das graduações tem cinco especializações (latu sensu): Termofluidomecânica, Geoprocessamento, Engenharia Oceânica História da arte Ciências Políticas Fez ainda Mestrado e Doutorado (stricto sensu): Mestrado – Engenharia Mecânica, Doutorado – Engenharia de Produção e Pós-doutorado na área de logística. José Manoel atuou em áreas diversas, como engenharia civil, tendo sido diretor do SECOVI, jornalismo (com destaque para a rádio Jovem Pan), professor universitário e diretor de campi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest

Share This