Debate ‘O BRASIL QUE SAI DAS URNAS’ Perspectivas e desafios

Debate ‘O BRASIL QUE SAI DAS URNAS’ Perspectivas e desafios

Debate

O BRASIL QUE SAI DAS URNAS’

Perspectivas e desafios

Quando

22.10.2018

Horário

Das 08h00 às 12h00

Onde

SINDICATO DOS ENGENHEIROS DO ESTADO DE SÃO PAULO (SEESP)

Endereço

Rua Genebra, 35 – Bela Vista (região central de São Paulo)

 

PROGRAMAÇÃO

 

08h00

Recepção e breve apresentação

08h15 às 09h00

Como retomar o crescimento continuado com desenvolvimento sustentável: caminhos, gargalos e saídas

. A insegurança jurídica nas áreas estratégicas do processo: energia, abastecimento (água e saneamento), transportes (intermodicidade, logística&suprimentos)

. Os projetos estruturantes indispensáveis para recolocar o País competitivamente nos mercados globais

. Novo modelo de governança pública para atração de investimentos e captação de linhas de financiamento de organismos multilaterais

. A paralisia das grandes obras e a fuga de cérebros. Remessa de lucros, evasão e repatriação de divisas

. A reengenharia do Estado indutor das diretrizes intersetoriais e suas limitações financeiras

. A reestruturação das agências governamentais de fomento nacional (BNDES) e internacionais (Bird, BID, Eximbanks, Jica etc.)

Palestrante

FÁBIO ANTÔNIO TAVARES DOS SANTOS

Coordenador Nacional da Área Criminal do escritório DÉCIO FREIRE E ASSOCIADOS.

Mestre e doutorando em Direito Penal pela USP.

Especialista em Direito Penal Econômico pela Universidade de Coimbra.

Especialista em Direito Penal Empresarial pela Universidade Pompeu Fabra, de Barcelona.

Membro da Comissão de Prerrogativas da OAB/SP, ex-conselheiro da OAB/SP e da Comissão de Direito Penal da OAB/SP.

Autor do livro ‘O crime de evasão de divisas sob a ótica do Direito Penal Mínimo’, de outras obras, como o romance ‘Quatro Verões’ (último lançamento, pela Editora LiberArs), e de artigos em revistas especializadas

09h00 às 09h45.

A Nação nos trilhos: a infraestrutura como condicionante da competividade e a logística interconectada para alavancar a presença ativa brasileira nos mercados globais.

. A força do complexo de transportes: 40% do PIB mundial em atividades diretas e indiretas de escoamento produtivo no comércio global. A Revolução 4.0.

. O impacto nos custos da logística e no meio ambiente: conexão da ferrovia como principal meio de transporte com outros modais: a competitividade em escala num contexto globalizado

. A intermodicidade como vetor estratégico: o suprimento dos bens essenciais para desenvolver a indústria de base com soberania nacional e o abastecimento do consumo interno.

. Os reflexos multiplicadores da ferrovia na macroeconomia: governo federal precisa de R$ 30 bilhões para investir em ampliação da capacidade operacional da malha férrea só de cargas.

As finanças públicas como maior entrave: as diretrizes cruzadas (intersetoriais) do Orçamento Geral da União e a participação da iniciativa privada: contratos, concessões, parcerias. Os novos paradigmas vitais.

Palestrante.

JOSÉ MANOEL FERREIRA GONÇALVES.

Presidente da FerroFrente (movimento em defesa da ferrovia como vetor intermodal dos sistemas de transportes de cargas e de passageiros).

Engenheiro, advogado e professor universitário na área de Infraestrutura

Autor de livros, como ‘História das ferrovias do Brasil – volume II: ferrovias paulistas’ (último lançamento, pela Editora Sendas)

09h45 às 10h15

COFFEE BREAK.

 

10h15 às 11h00

O AMBIENTE POLÍTICO. Cenário e expectativas pós-eleição.

. Motivação do voto em Bolsonaro e Haddad. O desejo popular e o inconsciente coletivo.

. Perfil e tendências do novo Congresso Nacional.

. A trajetória da crise de 2014 até o pós-2018.

Palestrante.

MALCO CAMARGOS.

Doutor em Ciência Política e professor da PUC Minas

Diretor do Instituto Ver Pesquisa e Estratégia.

 

11h00 às 11h30

O Estado DEMOCRÁTICO de Direito e a Soberania Nacional.

. Os DIREITOS HUMANOS como um valor inalienável universal na gestão da segurança interna: soberania participativa e soberania popular

Palestrante

DENISE FON.

Do Comitê Paulista pela Memória, Verdade e Justiça de São Paulo.

Jornalista e escritora. Autora de ‘Contos para falar de morte e vida’ (narrativa de casos de tortura durante a ditadura militar, pela Editora Ilelis e Fundação Perseu Abramo), entre outras obras.

11h30 às 11h45. CASE

Segurança pública: novos conceitos de combate ao crime organizado

. Reaparelhamento do sistema de defesa militar: a ciência&tecnologia

 

11h45 às 12h30

CIDADANIA. Protagonismo nas diretrizes públicas

. Resultados do Projeto Científico Desenvolvimento Brasil 2035 e as ações estratégicas transformadas em projetos

. Apresentação da identificação das variáveis motrizes, suas interrelações e o grau de influências para construir o futuro do Desenvolvimento Brasil 2035.

. As ações estratégicas definidas e iniciadas por meio de projetos (Project CANVAS), tendo o Município de Ribeirão Branco (com o IDH mais baixo do Estado de São Paulo), como caso prático pioneiro no País

. A ação principal do Projeto Desenvolvimento BRASIL 2035: ‘Avaliar e Desenvolver Formação Cidadã para a Apropriação pela Sociedade’, que está em processo de implementação para a formação de uma sociedade brasileira cidadã.

. Desenvolvimento em rede para implementar as ações e desenvolver a Formação Cidadã da Sociedade Brasileira.

Palestrante.

ANTÔNIO LUÍS AULICINO.

Mestre e Doutor em Administração pela FEA-USP

Pesquisador voluntário e coordenador de projetos do Núcleo de Apoio à Pesquisa do Planejamento de Longo Prazo (NAP-PLP) da FEA-USP

Especialista em estratégia, planejamento de curto, médio e longo prazo e processo prospectivo territorial e estratégico

12h30

ENCERRAMENTO.

Compartilhe

José Manoel Ferreira Gonçalves é graduado em: Engenharia Civil, Jornalismo e Direito. Além das graduações tem cinco especializações (latu sensu): Termofluidomecânica, Geoprocessamento, Engenharia Oceânica História da arte Ciências Políticas Fez ainda Mestrado e Doutorado (stricto sensu): Mestrado – Engenharia Mecânica, Doutorado – Engenharia de Produção e Pós-doutorado na área de logística. José Manoel atuou em áreas diversas, como engenharia civil, tendo sido diretor do SECOVI, jornalismo (com destaque para a rádio Jovem Pan), professor universitário e diretor de campi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest

Share This